PBR e o mal desempenho dos brasileiros neste início de temporada

9SEGUNDO_ABNER

Olá. Hoje, vou dar início ao “Nono Segundo”, minha coluna periódica no Portal Rodeio Magazine. Já tive alguns textos meus publicados aqui no Portal, mas estou muito feliz com a chance de agora escrever periodicamente e agradeço a Carla Prado e ao Ney Macedo pelo convite.

Mas porque “Nono Segundo”? Porque a intenção da coluna é ir além dos oito segundos da montaria, ou seja, mostrar bastidores, detalhes, sempre com a minha opinião. Espero que curtam.

E o primeiro assunto é claro que não poderia deixar de ser polêmico: a atual situação dos competidores brasileiros no campeonato mundial da PBR.

Em anos anteriores era comum ver brasileiro na liderança, três brasileiros entre os cinco melhores, seis brasileiros entre os 10 melhores e este ano, após seis etapas da principal divisão da PBR, o cenário está bem diferente.

E é claro, nós achamos os culpados: os juízes norte-americanos e o novo sistema de pontos. Mas ninguém percebeu que nem os juízes e nem o novo sistema de pontos tem poder suficiente para derrubar os brasileiros antes dos oito segundos. Ou seja, os brasileiros não estão bem este ano, porque não estão parando em seus touros.

Para comprovar isto, fui atrás dos números. Primeiro, fiz uma simulação, com os resultados deste ano, mas atribuindo os pontos no sistema antigo, que valia até ano passado. E o resultado foi praticamente o mesmo, norte-americano na liderança e apenas dois brasileiros entre os 10 melhores.

Mas para não deixar dúvidas, fui atrás de outros números, mais precisamente o do desempenho dos brasileiros este ano e a TABELA abaixo explica o que tem acontecido nesta temporada.

Dos nove brasileiros que competiram ano passado e este ano, somente Silvano Alves melhorou seu aproveitamento. Em 2014, ele havia parado em 40% dos touros que montou nas seis primeiras etapas, este ano ele parou em mais de 73%.

Já os outros oito brasileiros diminuíram seu aproveitamento, ou seja, caíram de muito mais touro este ano do que haviam caído nas seis primeiras etapas do ano passado. E quem os derruba dos touros?

No geral, em 2014 foram 11 brasileiros nas seis primeiras etapas e este ano, mais 11. Na média, em 2015 eles pararam em 43% dos touros que montaram, sendo que no ano passado, havia um aproveitamento de 50,99%.

Em comparação, nesta etapas do ano passado foram realizados 23 Round’s e os brasileiros fizeram 202 montarias. Este ano foram 22 Round’s e 169 montarias. A explicação é simples: como estão caindo mais, os brasileiros não estão se classificando para o Short-Go (Final) dos eventos e isto fez com que montassem em menos touros.

As perguntas que ficam são: Será que os americanos estão aprontando na hora do sorteio também? Será que estão colocando algo na água dos brasileiros para eles ficarem mais fracos? Talvez este seja o novo argumento, afinal os números provam que nem os juízes, nem o novo sistema de pontos tem haver com as posições atuais do Ranking e o fraco desempenho dos nossos competidores.

Competidor Temporada 2014 Temporada 2015
Montarias Paradas % Montarias Paradas %
Silvano Alves 20 8 40,00 19 14 73,68
Guilherme Marchi 23 14 60,86 20 10 50,00
Valdiron de Oliveira 20 11 55,00 18 9 50,00
Fabiano Vieira 18 13 72,22 19 9 47,37
João Ricardo Vieira 21 10 47,61 18 8 44,44
Eduardo Aparecido 16 8 50,00 17 7 41,18
Renato Nunes 17 7 41,17 18 5 27,78
Robson Palermo 16 8 50,00 13 3 23,08
Marco Eguche 18 8 44,44 15 2 13,33
Cláudio Crisóstomo 19 10 52,63
Emílio Rezende 14 6 42,85
Kaique Pacheco 8 4 50,00
Luis Blanco 4 2 50,00
Total 202 103 50,99 169 73 43,19

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *