Rafael de Brito explica a dor que se transformou em lágrimas em Quintana

Rafael Brito Chorando

A vida do competidor de rodeio é cercada de altos e baixos, derrotas e vitórias, vencer e cair de touros, títulos, contusões, etc.

Quando você tem na arena quarenta competidores perfilados durante a abertura de um rodeio, as emoções que cada um carrega, daria um bom livro.

Essas emoções não são perceptíveis, não enxergamos, muitas vezes só em uma conversa mais detalhada para você de fato conhecer a vida de cada um, ou ainda o problema que se passa com esse ou aquele atleta.

Em doze anos trabalhando como colunista de rodeio, por centenas de vezes eu achei que conhecia todos eles, competidores, mas bastava fazer uma entrevista, e pronto, de nada eu sabia, havia ali muitas emoções guardadas.

Porém, às vezes, essas emoções se tornam perceptíveis, palpável, visível. Já diz o Padre Fábio de Melo em uma de suas canções que: ‘Lagrimas, são fragmentos de história, que não se pode entender’.

Durante a final de Quintana, final também do Circuito Rancho Primavera, onde um competidor sairia de lá com 100 mil reais, a abertura do último dia acontecia como havia acontecido nos três dias anteriores.

Depois de fazer minha parte na transmissão ao vivo pelo Youtube, desci para a arena, e a abertura já estava acontecendo, montei meu equipamento na beira da arena e, adentrei a arena, para registar algumas fotos, e lá no centro estava os quatro competidores com chances matemáticas, Caic Cássio, que acabou sendo o campeão, tinha o jogo a seu favor, dependia só dele, mas havia um cara que, naquele exato momento liderava o rodeio, e era a principal ameaça para Caic, Rafael de Brito, o que esse cara fez ali, me chamou a atenção.

Enquanto o comentarista e presidente do Circuito Rancho Primavera, Rogério Paitl, fala sobre a disputa, Rafael de Brito, deixou sua emoção escapar, atrás das lágrimas, ele deixou sua história aflorar.

Ele simplesmente começou a chorar, sem parar, suas lagrimas caiam e, eu pensava: O que esse cara está sentindo? Daqui duas horas ele pode sair daqui com 100 mil reais, e está chorando!

Não via a hora de perguntar isso para ele Rafael Brito, mas o rodeio começou e o motivo estava lá no brete e tinha um nome: Touros ‘Diretor’ da Cia Molezan.

Em primeiro de nota, com chances reais de título, Brito, tinha essa pedreira pela frente e isso foi o motivo das lágrimas.

– A gente luta o ano todo, aí quando está perto dos 100 mil reais, sorteia um touro desses, naquela hora, eu sabia, por mais que eu fosse otimista que tudo ficaria difícil. Eu acho que erraram em colocar aquele touro, numa disputa desse, um animal daqueles não poderia estar na semifinal, e naquele momento fiquei triste e chorei – Explica sobre as lágrimas

Rafael acabou caindo do touro Diretor, porém, ainda entrou na final e com chances matemáticas de ser campeão.

No sorteio, outra pedreira, touro Três Namoradas, da Cia Euripinho Sollo. Na hora de soltar o touro, o brasil inteiro viu nas redes sociais, novamente, as lágrimas de Rafael voltaram e, mais fortes ainda.

– Na verdade, eu sabia que o título já era, a tristeza bateu forte, fui para tudo ou nada, para tentar melhorar a posição na etapa, fiquei muito triste naquela hora. – Explica

Brito acabou caindo de Três Namoradas, e para piorar a situação, acabou se machucando, na hora, o silêncio tomou conta, pude observar atentamente quando sua mãe e sua namorada desceram correndo para dentro da arena, Brito continuava deitado e na sequência saiu de ambulância, por isso demorei tanto a entrevista-lo

– Na hora era muita dor e, para ser sincero não conseguia pensar nelas, em nada, mas elas estarem ali, foi muito importante, para me dar apoio, pois era um dia triste, havia acabado de perder a chance de ser campeão – Explica Rafael José de Brito sobre o momento da dor

Para temporada 2017, Rafael disse que podem esperar ele competitivo de novo, que ele está pronto

Com diversas etapas já marcadas para 2017, a temporada do CRP já está acontecendo em Santa Cruz do Rio Pardo e termina no próximo domingo dia 22. E no fechamento deste texto Rafael de Brito já havia vencido seu primeiro touro da temporada.

Por Eugênio José – MTB: 67.231/SP

contato@eugeniojose.com.br

Foto: Eugênio José

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *