Conheça a história do competidor que deixou a marcenaria para se competidor e é detaque no CRP

 

crp

Fazendo sua primeira temporada no CRP – Circuito Rancho Primavera, competidor que trabalhou como marceneiro, está aproveitando as oportunidades e somando pontos no campeonato.

Aproveitar as oportunidades. Quando se trata de campeonato, nem todas as oportunidades são iguais.

As melhores oportunidades são no início da temporada, onde o ranking não está com tantos pontos e, quando um competidor consegue uma boa atuação, faz diferença, dá resultados no ranking.

Olhando no ranking do CRP, antes de começar a segunda etapa em Guapirama (PR), em 16º lugar, aparecia Lucas José da Silva, de Comodoro (MS).

Ele foi 20º colocado na etapa de Santa Cruz do Rio Pardo (SP), a primeira da temporada, não conseguiu avançar para semifinal naquela ocasião, onde só dezoito competidores passaram.

Na primeira noite em Guapirama, Lucas marcou a melhor nota da noite empatado. A nota (87,25) mais o bônus (80) deu a Lucas naquele momento 167,25 pontos para o ranking.

Fazendo uma conta crua (sem contar os bônus dos outros competidores), naquele momento, essa pontuação o jogaria entre os dez primeiros no ranking. Lucas está de fato, aproveitando a oportunidade para ficar entre os primeiros do ranking, já que, da segunda etapa em diante as coisas ficam mais difíceis para quem não tem ponto algum.

Com 25 anos de idade, ele começou no rodeio com 18 anos, hoje falamos de Lucas como um competidor de montarias em touros, mas nem sempre o rodeio fez parte da vida dele, sendo mais preciso, ele nem sequer gostava de rodeio.

Trabalhou como marceneiro e, como ele mesmo diz, ele não era do ramo do rodeio, ele teve que aprender tudo, até andar em um cavalo, e seu começo, teve a participação direta do ex competidor, atualmente juiz de rodeio Edilson Rodrigues, Dinho de Naviraí (MS).

– Eu não era do mundo do rodeio, trabalhava em uma marcenaria. Eu tinha um amigo, o Danilo Alves, ele mexia com cavalos e montava em touros, através dele comecei a pegar gosto, deixei a marcenaria e fomos para Naviraí (MS) aí lá conheci outro competidor Moacir Arnaldo, ‘Naldinho’, foi ele que me apresentou para o ‘Dinho’ foi por lá que tudo começou – Explica sobre seu começo, ele cursou administração em uma faculdade em Comodoro (MT) por dois anos e meio.

Em seu primeiro rodeio da carreira, ele foi muito bem, ficou em quinto lugar, sendo que entrou em primeiro lugar de nota. Experiente, Lucas tem vários títulos, dois carros e duas motos.

– Eu demorei muito a pegar o jeito da coisa, da montaria em touros, sofri muito no começo, demorei a ganhar prêmio, e quando já estava montando bem e vim para São Paulo, sofri mais um pouco ainda para me adaptar com os touros daqui, mas graças a Deus superei essa fase e hoje continuamos da luta – Conta Lucas que hoje só monta em rodeio, essa é sua única atividade, hoje ele mora em Marapoama (SP) para se dedicar ao seu trabalho de montar em touros.

E foi o último carro que ganhou, por ser campeão no campeonato da Equipe Dezembro, seu desempenho foi observado pelo juiz Rafael Silva Moura que indicou ele no campeonato.

– Entrar desde o começo no campeonato, é uma oportunidade a mais, porque são muito competidores qualificados, então a minha expectativa, é montar bem, estar com o físico em dia, não se machucar, então meus planos são esses, montar bem, estar aqui com todos, e o resultado só o tempo dirá, vou me dedicar ao máximo para poder ficar aqui – finaliza contanto sobre suas perspectivas sobre a temporada.

Por Eugênio José – MTB: 67.231/SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *