Seis brasileiros dominam dez melhores colocações do Mundial

A corrida pelo título mundial de 2018 começou em Nova Iorque no último dia 5 no icônico Madison Square Garden. Este ano, ele tem um sabor ainda mais especial, já que marca os 25 anos da PBR (Professional Bull Riders).

Entre novatos e veteranos, o Brasil tem uma equipe experiente e com grandes chances de conquistar o décimo título ao país. Só neste início, seis dos dez melhores colocados defendem as cores da bandeira verde-amarela.

O segundo colocado é Valdiron de Oliveira. O atleta, que havia se aposentado, retornou com tudo, mostrando ainda muito preparo físico e técnica. Ele tem 363,33 pontos, apenas 336,67 de Gage Gay, atual líder.

Eduardo Aparecido é um nome muito forte para a conquista do título. Na temporada passada, o atleta chegou a liderar o Mundial por meses e se mantém constante, com grandes chances de chegar ao topo do mundo em breve.

Em quarto lugar está Kaique Pacheco. Um dos atletas mais queridos do esporte venceu o 15/15 Bucking Battle no último sábado, dia 6, e subiu várias posições, tendo, inclusive, figurado em primeiro lugar no final de semana.

Claudio Montanha Junior é o quinto colocado. Em 2017, ele concorreu ao título de Revelação do Ano e é um dos nomes que tem atraído olhares dos fãs pela sua técnica e também por ser um concorrente forte ao título.

O sexto colocado é João Ricardo Vieira. João é considerado um dos melhores atletas do mundo na atualidade e já venceu importantes títulos, como Rookie of The Year em 2013. Ele também é nome forte ao Mundial.

O último brasileiro da lista é Dener Barbosa, que está em sétimo colocado. O campeão brasileiro de 2016 também concorreu ao premio de revelação do ano na temporada passada e já conquistou os fãs do esporte mais radical do planeta.

Vinte melhores

Mas o Brasil ainda tem grandes nomes da atualidade com chances nesta temporada. Entre os vinte melhores colocados estão atletas como José Vitor Leme (14), Luciano de Castro (17) e Rubens Barbosa (19).

Lucas Divino, que está em 12º colocado, não disputa o Mundial nos Estados Unidos. Sua colocação no ranking deve-se aos pontos conquistados no Brasil e nas etapas que disputou em 2017 na Austrália. Paulo Lima (16) está no Real Time Pain Relief Velocity Tour (onde é segundo colocado na classificação geral), mas conquistou pontos no ranking geral.

Resultado em Nova Iorque

O campeão da primeira etapa do ano foi Gage Gay. No entanto, entre os cinco melhores, figuraram os resultados de Valdiron de Oliveira, vice-colocado; Eduardo Aparecido em terceiro; e João Ricardo Vieira em quarto.

Fonte: Jorge Cardoso – PBR Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *