Boiadas da FEPEINA esquentaram a final no Caldeirão do Paraná e paulista ficou com o carro

Terminou na noite deste domingo, 04 de fevereiro a 31ª edição da Festa do Peão de Douradina no Paraná.  Conhecida como o ‘Caldeirão do Paraná’, por ter a arena pequena e sempre lotada passando um calor enorme para as montarias, o rodeio teve um show de organização, com o público presenciando toda a garra dos competidores e destreza dos animais de pulo.

fepeina

COMISSÃO ORGANIZADORA

Empenhada e com credibilidade tanto na cidade/comunidade, como entre os profissionais de rodeio a comissão, liderados por Nicholas Martins e Wilian Custódio, presidente e vice, trabalharam muito para que a festa acontecesse para valer como sempre foi.

Na sexta-feira o público presente no recinto era o mesmo de todo o município, o que gerou congestionamentos gigantescos tanto de carro como de pessoas para comprar ingressos.

Todos os profissionais de rodeio que foram chegando na quinta-feira, já foram recebendo em dinheiro, seus respectivos caches.

“É uma maneira de vocês largarem um pouco de dinheiro no nosso evento e cidade” Brincou o presidente Nicholas enquanto pagava os profissionais.

E a FEPEINA 2019 já tem data marcada, de 07 a 10 de fevereiro.

Comissão e direção de rodeio em sempre andaram juntos em um pensamento: Qualidade do rodeio.

Entra presidente, sai presidente, o pensamento continua o mesmo, fazer uma boa festa, com shows que cabem no bolso e na realidade do município e, um rodeio de qualidade, sem baixar o investimento nas montarias. As arquibancadas lotadas, com o público prestigiando as montarias, é a reposta, já que o show é realizado em outro local apartado do rodeio.

Rodrigo Martins e Matheus Sossai, diretores do rodeio escolheram a dedos todos os profissionais, e principalmente as boiadas fazendo da arena da FEPEINA um show de rodeio.

“O rodeio aconteceu como prevíamos, sabíamos que os competidores podiam vencer bons touros e fazer grandes montarias como aconteceu oito notas acima de noventa, como sabíamos que os animais contratados poderiam vencer qualquer competidor, como venceram na final” Disse Rodrigo Martins diretor de rodeio.

BOIADA QUALIFICADA

O calendário sempre deu a Douradina a posição de primeiro grande rodeio do ano, com um carro zero km e, uma boiada descansada, já que é o início de temporada não há nem muitos eventos e principalmente sequência de eventos, sempre foi difícil ganhar Douradina, sempre foi complicado vencer todos os touros da FEPEINA.

Não foi diferente este ano, o trio de Cias contratadas, Tercio Miranda, Paulo Emílio e 2M do Marcondes Mais, nos apresentaram um show de pulos, foram no pé da letra um terror para os competidores.

Foram 113 montarias durante os quatro dias, com 31 paradas, aproveitamento 27% da parte dos competidores e nenhum touro foi vencido na final. Das 31 paradas, oitos foram com notas igual ou superior a noventa pontos.

Estranho? De forma alguma, isso é o reflexo de investimentos de todos os tropeiros, nem dá para saber quando milhões de touros passaram este ano pela arena da FEPEÍNA, talvez algo próximo a dez milhões de reais. Quanto valem esses animais? Ai a conta é bem maior!

Não é a primeira vez também que todos os competidores são derrotados na final, em 2011 aconteceu a mesma coisa, onde todos foram vencidos.

Entre os competidores, a fala é sempre a mesma: Um dos currais mais difíceis da temporada.

A Cia de Rodeio Tercio Miranda, venceu como melhor boiada com a média 45,51 pontos.

Na disputa por melhor touro, a briga foi ainda mais acirrada. Foram cinco notas igual ou superior a 47 pontos e 21 notas igual ou superior a 46 pontos. Nortão, da Cia Tercio Miranda conseguiu a média 46,875 pontos e foi o grande campeão.

ESTREANTE VENCEU A FEPEINA

Samuel Thiago liderou do começou ao fim a FEPEINA, o competidor de Mirante do Paranapanema (SP), conquistou o segundo carro da carreira.

“Eu estava muito feliz em ter vencido os primeiros animais estar liderando a competição. Minha felicidade era porque desloquei o ombro no final do ano, estava montando bem, quando o título chegou tudo isso só aumentou” Disse Samuel

“Eu montei nele para vencer, o público e a comissão merecia uma parada, mas o touro pulou diferente do primeiro dia e me surpreendeu, mas é uma pressão a menos, você poder montar sem ter que parar para ganhar, mas montei normal como se precisasse os oito segundos” Respondeu sobre a situação de montar na final já sendo o campeão. Samuel montou ‘Pai da Mata” o mesmo touro que deu a ele a maior nota do evento no primeiro dia 92,00 pontos.

“É muito importante você ser bem recebido como a gente foi recebido aqui, quero aproveitar para agradecer o Rodrigo a oportunidade de montar neste renomado evento e também toda comissão organizadora pela recepção, lá na escola, com ar condicionado, duas refeições por dia, nem colchão precisamos levar que tinha e da melhor qualidade ainda, foi um prazer estar aqui na FEPEINA, e um prazer ainda maior, poder andar como fivela de campeão deste evento” Finalizou Samuel.

CLASSIFICAÇÃO FINAL

1 – Samuel Thiago, Mirante do Paranapanema (SP) – 272,25

2 – Rafael de Brito, Potirendaba (SP) – 271,50

3 – Lucas José, Comodoro (MT) – 266,50

4 – Otávio Marino, Jaci (SP) – 263,75

5 – Keny Roger, Pereira Barreto (SP) – 261,50

Texto e foto: Eugênio José – MTB: 67.231/SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *