A fé no mundo do Rodeio

A fé é algo que não vemos e não tocamos, porém quem a tem, sente ao seu redor e em seu coração.

No mundo do Rodeio, isso não é diferente. Existem diferentes categorias de profissionais que juntos trabalham neste esporte, cada qual com sua religião e fé. O que cada um carrega em seu coração não muda quem eles são. No fundo dos bretes o respeito e amizade se encontram.

Estes profissionais, mesmo com diferenças, conseguem encontrar-se juntos em alguns minutos antes de sua apresentação diária de 8 segundos. Estes minutos antes de sua montaria, antes de entrar dentro da arena, parecem que duram horas, mas não, neste tempo estes profissionais, param, olham para dentro de si, alguns oram, outros rezam, pedem proteção, agradecem o momento e mandam até energias positivas para outros amigos.

Este é o significado da fé ali dentro, não importa no que você crê, o importante é acreditar em algo, manter os pensamentos firmes e sempre, sempre dar o seu melhor!

A baixo você verá depoimentos de alguns competidores e profissionais do Rodeio sobre seus momentos de fé que os ajudaram a não desistir de seguir seus sonhos neste esporte.

O competidor de montarias em touros, pela Liga Nacional de RodeioJordans Jordão Junior, de 25 anos da cidade de Holambra/SP, conta sobre sua carreira e sua fé na Padroeira Nossa Senhora Aparecida.

jjj

JJJ, como é conhecido no rodeio, começou a treinar cedo aos 12 anos, porém ingressou como profissional de montarias em touros apenas aos 20 anos.

“Tive um começo muito bom em minha carreira. Mas como todos tive acidentes e momentos difíceis. Passei anos sem conseguir montar bem novamente. Pensei até em parar. Mas Deus foi tão maravilhoso comigo que a cada manhã me dava um dia maravilhoso pra eu continuar e não desistir.  Rezava todo dia esperando uma resposta de Deus. Eu via que não tinha capacidade mentalmente mais eu tinha minha fé que poderia me levar mais longe do que eu poderia imaginar. E eu consegui. Superei muita coisa, voltei a vencer, não só nos touros, mas na vida. E hoje sempre agradeço a Deus por tudo que tem feito e tudo que faz em minha vida. Podemos perder tudo, menos a fé!”

jjj2

Rafael Reis, mais conhecido como “Cocão Salva Vidas de Rodeio”, tem 29 anos e é de Parapuã/SP. Rafael é representante da UNSVR União nacional de salva vidas de Rodeio.

A profissão de Salva Vidas de Rodeio, é conhecida por mais dois nomes, “Anjos da Arena” e “Profissão Perigo”. Rafael é católico e busca a proteção divina para ajudar a realizar da melhor forma o seu trabalho dentro da arena.

cocao2

Rafael contou um dos momentos mais difíceis que passou em sua vida até agora:

“No começo foi tudo difícil onde pessoas não abriam as portas para mim no rodeio mesmo com muitas pessoas boa me ajudando. Hoje trabalho em pelo menos 15 etapas do CRP e etapas da Liga e nos rodeios que todo ano eu vou. Há um ano atrás eu perdi minha avó era ela que me benzia toda semana antes de viajar e justo nessa semana estava no rodeio de Mirandópolis/SP. Eu na correria da faculdade não passei para ter a benza e ela veio falecer no domingo cedo pra mim foi um dos piores momento da minha carreira. Mas Busquei Deus a casa do pai e ele me ajudou muito, sou muito devoto a Nossa Senhora onde ela vem me ajudando diariamente minha vida a minha caminhada. Busco Deus 24 hrs por dia porque sem a fé e adoração não somos nada”.

cocao

“Dentro da nossa profissão corremos um grande risco de vida, onde sabemos que estamos entrando na arena bem, mas podemos sofrer alguma lesão ou machucado, mas a fé é importante eu busco ela antes durante e depois do rodeio, acho que sem a fé e a proteção de Deus, não somos nada.

Talison Henrique, tem 22 anos, é competidor de montarias em Touros pela Liga Nacional de Rodeios e é de Ribeirão Bonito/PR.

talison3

Talison enfrentou um inicio difícil, onde não encontrava boas oportunidades e a falta de quem o ajudasse a seguir com seu sonho, porém, esse ano o competidor teve a oportunidade de montar na Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos.

talison2

“Um dos momentos mais difíceis para mim, foi onde eu tive que acreditar que para Deus nada é impossível. Nasci em uma cidade pequena e lá no começo, nós não tínhamos opção de treino, não tinha em quem se espelhar e nenhum incentivo, não tínhamos ninguém para nos mostrar o que era certo ou errado. Recebíamos muitas críticas, de pessoas que só nos colocavam para baixo e isso me prejudicou, porque as pessoas podiam acreditar em nossos sonhos e nos motivar, mas no começo não foi assim. Depois de um tempo mudei de cidade e conheci um pessoal do Rodeio, essa fase foi melhor, mas ainda assim era difícil, porque eu não conhecia muita gente. Continuei com minha fé em Deus, treinando bastante e focado, as coisas foram melhorando. Entrei pela primeira vez em uma igreja Evangélica nesse tempo, e a partir daí conheci os caminhos de Deus, segui os caminhos dele, sempre orando, andando pelos caminhos certos, depois disso as coisas começaram a dar certo”.

talison

“Um dia me ofenderam, dizendo que o meu sonho de ser competidor nunca iria se realizar, nunca iria dar certo. Foi difícil ouvir, porque era meu sonho e eu não podia deixar isso morrer, por conversa dos outros, hoje Deus mostra e prova que pra ele nada é impossível. Na verdade, ninguém explica Deus”.

Douglas Lino, tem 32 anos, é de Morro Agudo/PR e monta pela ACR – Associação de Campeões de Rodeio.

douglas

Douglas monta desde os 15 anos de idade, aos 17, começou a ir para os Rodeio regionais, a partir disso não parou mais. O competidor de montarias em touros, contou sobre um acidente no ano de 2006.

“Em 2006, depois desse acidente de trabalho eu tive que operar a mão esquerda, essa era mão que eu montava, então foi muito difícil, nessa cirurgia eu perdi o movimento parcial da mão, pensei que não voltaria a montar, porém não desisti, depois de cinco meses eu voltei a treinar, e nisso tive que aprender a montar com a mão direita, o que no começo foi difícil. Pensei muito em desistir, mas a minha fé em Deus e Nossa Senhora Aparecida me ajudou muito”.

douglas2

“Antes de entrar na arena, eu costumo fazer minha oração, me mantenho calmo e confiante”.

Como podemos confiar naquilo que não vemos? Na verdade nossa vida depende daquilo que não vemos, o ar que respiramos por exemplo, este é apenas um exemplo de algo que não vemos, porém nos mantém vivos. A fé é natural assim, por diversas vezes é difícil acreditar que alguém nos ampara, protege e até mesmo traça nossos caminhos, mas são depoimentos como estes acima, que nos ajudam a acreditar que tudo na vida tem um porquê, alguns desses profissionais estão apenas no início de seus caminhos e ainda não sabem o que esperar do futuro, porém eles já traçaram metas e pretendem alcançá-las com muita fé força de vontade, afinal “O impossível é só questão de opinião”.

Por: Hévylin Munhoz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *