Chega a Roseta

Adquirir novos conhecimentos nunca é demais

Amigos (as) leitores, para quem estava com saudades, voltei com tudo. Depois de um tempo longe das minhas escritas, estou voltando para trazer a vocês as minhas opiniões, polêmicas e informações que todos merecem saber.

Esse tempo todo afastado fiquei observando algumas coisas que me fizeram a ter “coragem” de voltar escrever. E uma das minhas observações é com um dos temas mais polêmicos do rodeio o “Julgamento”.

Vi muitos assuntos com esse tema rolarem nas redes sociais, grupos de WhatsApp, fundo de bretes e outros locais aonde todos só faziam reclamações e fortes críticas ao julgamento do rodeio brasileiro.

Para me preparar melhor pra falar desse assunto, recentemente fiz um curso de julgamento com o grande profissional Wellington Kibe, um dos juízes mais respeitado e bem aceito no rodeio. Esse curso pra mim foi uma grande realização pessoal e profissional, pois sempre quis aprender mais sobre as regras e como é feito o julgamento de uma montaria.

Em minha opinião foi um enorme aprendizado aonde tive o prazer de ganhar um conhecimento melhor sobre esse tema que é muito polêmico nas arenas de rodeio. Cheguei a seguinte conclusão, que nós somos muito leigos nesse assunto ainda e que às vezes fazemos comentários, acusações e cometemos algumas injustiças com relação aos juízes com relação de nota de animais, nota de montarias e outras coisas mais.

Depois que aprendemos a julgar nos 5 quesitos necessários (coice, pulo, giro, intensidade e dificuldade) percebemos que nenhuma montaria é igual a outra, é muito difícil um touro ou cavalo pular igual pulou o dia anterior ou o evento passado, por isso a nota não pode ser igual.

Às vezes no primeiro dia o animal tem uma saída mais difícil e no outro mais normal, por isso a diferença de nota tem que existir, com relação ao famoso “clock” muita coisa foi esclarecida e por isso temos que prestar mais atenção no fato acontecido para não sair falando bobagens por aí que juiz tal é fraco, prejudicou tal competidor ou tal animal, ele simplesmente aplicou a regra como deve ser seguida.

Para quem quiser ficar mais inteirado sobre as regras oficiais do rodeio, indico a vocês visitarem o site da CNAR aonde você encontrará ela na íntegra. Indico também para todos fazerem um curso de julgamento, pois só conhecendo a fundo esse assunto veremos que na verdade não sabíamos de nada.

Vou ficando por aqui e gostaria de agradecer a todos pelas mensagens recebidas pedindo a minha volta. Quem tiver algum tema que queira ler por aqui é só entrar em contato conosco através das nossas redes sociais.

Um forte abraço e até a próxima!

“Somente o conhecimento nos oferece meios para evoluirmos, ter sucesso e viver melhor”.

 

Mostrar mais

Eric Vieira

Comentarista, assessoria para rodeios, colunista e diretor de rodeios da IPR Brasil

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar