PBR Brasil

Luciano Castro busca conselhos com veteranos

Luciano nem sequer chegou ao vestiário da Real Time Pain Relief Velocity Tour na noite de sábado e já foi direto falar com o tricampeão mundial Silvano Alves e o Rookie of The Year 2016, Kaique Pacheco.

Foto: André Silva
Foto: André Silva

O competidor tinha acabado de enfrentar o touro Dirt Devil e conquistado 85,50 pontos, mas ele queria buscar mais conselhos e dicas sobre como ele havia se apresentado em Southaven, Missisipi, válido pelo campeonato organizado pela PBR (Professional Bull Riders).

“Isso é um pouco diferente”, disse Castro ao jornalista Justin Felisko, da PBR EUA, com a ajuda de Silvano Alves na tradução. “Os touros brasileiros e daqui. Eu preciso continuar me adaptando porque montei por lá (Brasil) por um longo tempo. Os touros brasileiros dão mais coices e não são muito rápidos como os touros americanos. Neste momento, esses touros americanos estão chutando mais rápido e a frente é mais difícil. Eles voltam rapidamente e mudam de direção”.

Castro conversou com Alves e Pacheco por 3 minutos. O trio falou sobre a velocidade, o força e a agilidade do touro Dirt Devil, bem como a posição do braço de Castro. A noite deste sábado foi muito semelhante ao evento da Built For Tough Series de 2015, quando Silvano Alves puxou Pacheco para o canto para uma sessão de treinamentos e dicas em Anaheim, Califórnia. Uma semana depois, Pacheco ganhou seu primeiro evento da carreira nos Estados Unidos.

“Luciano perguntou para mim e Kaique, ‘quando aquele touro muda de direção, o que ele fez?’”, explicou Alves. “Eu disse a ele que os touros brasileiros às vezes são diferentes. Quando os touros mudam de direção, eles dão duro. Eles saltam e chutam. Agora, os touros americanos são mais altos na frente e não chutam muito. Estas são pequenas coisas. Ele só precisa continuar tentando montar normalmente”.

Castro tomou levou a sério o conselho, mas acabou sendo vencido pelo touro The Don aos 3,66 segundos durante um dos rounds do campeonato Velocity Tour. O animal atleta não se voltou, ele simplesmente o acompanhou e bateu todo o ar em seu peito. O campeão do PBR Brasil em 2015 acabou terminando empatado em quinto lugar no evento depois que todos os 10 competidores da rodada foram eliminados.

Jacob O’Mara ganhou o evento graças à sua conquista no primeiro round sobre o touro Boomer, fechando com 88,5 pontos. Luciano chega ao break de Natal em segundo lugar na Velocity Tour em sete saídas. Ele tem 58,33% de aproveitando chegando ao top 10 em cinco eventos. Fabiano Vieira lidera o Velocity Tour com oito saídas. Vieira terminou com o sétimo lugar em Southaven. Castro ainda tem que vencer um evento e começará 2017 fora da Built Ford Tough Series.

“Estou muito feliz neste momento”, disse Castro. “Todo o tempo eu estou crescendo e ajustando as coisas. Tenho montado muito bem nestas últimas semanas”. Castro vai voltar para casa para o Brasil para as férias antes de retornar para o rancho de Alves, onde ele está vivendo, quando a Velocity Tour retoma em 7 de janeiro em Oakland, Califórnia.

O aspirante Campeão do Mundo é capaz de atiçar o cérebro de Alves em uma base diária.

“Estou interessado nas pequenas coisas”, disse Castro. “Estou tentando trabalhar duro para ajustar essas coisas. Eu quero ficar melhor quando os touros se transformam em minha mão e irem em direções diferentes. Estou muito feliz com minha posição”.

Alves, que foi vencido por Bam Bam Bigelo em 2,64 segundos, disse que viu um tremendo crescimento em Castro em um mês de competição. “Estou a observá-lo. Do seu primeiro touro aqui e agora, ele está ficando cada vez melhor”, disse Alves. “Ele só tem que consertar pequenas coisas, como mudar de direção e onde seu braço (livre) está. Ele quer ajustar essas pequenas coisas, mas agora ele está ficando cada vez melhor”.

Castro disse que é importante para ele acompanhar as dicas de veteranos como Alves e Pacheco, bem como os outros competidores brasileiros que viajaram mais de oito horas de carro para Southaven de Decatur, Texas, para o evento deste fim de semana. Ele espera que no devido tempo ele estará com eles no BFTS em 2017.

“Isso ajuda muito porque eu quero ser como eles”, disse Castro. “Silvano e Kaique estão montando aqui no topo. Tenho confiança em Silvano e Kaique. Eu sei que posso fazer perguntas para eles. Estou evoluindo e montando bem. Esperto começar melhor no próximo ano”.

Fonte: PBR Brasil

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar