PBR USA

Marchi sente-se pronto para fazer uma temporada em 2017

 

PUEBLO, Colômbia – O Campeão do Mundo de 2008, Guilherme Marchi, pode ser encontrado normalmente rindo e sendo jovial nos bastidores do Mundial.

Foto: Andy Watson / BullStockMedia.com
Foto: Andy Watson / BullStockMedia.com

O corajoso atleta brasileiro tem sido um dos favoritos dos fãs nos últimos 13 anos e iniciará sua 14ª temporada em 2017, com uma forte participação novamente.

No entanto, Marchi admite que às vezes tem quem fala que ele está velho para ganhar um segundo título mundial, ou que talvez deve-se considerar se aposentar, o faz ficar com um pouco de raiva. Isso serve de motivação para que ele trabalhe dez vezes mais no auge dos seus 34 anos.

“Claro. Muito”, disse Marchi em novembro. – “Essa é uma dessas coisas. Eu ainda estou aqui. Quando você tem um objetivo, você pode fazer o que você quer fazer. Eu não tenho planos para me aposentar. Eu continuo dizendo: ‘Talvez eu me aposente no próximo ano,’ mas eu ainda gosto e amo o que faço. Eu me sinto ótimo. Não sinto dor. Eu perdi um pouco de peso. Eu tenho que lutar para montar touros, e eu me senti tão concentrado nestas Finais.”

Marchi tem muitas razões, e prova que ele ainda tem o que é preciso para potencialmente ganhar um segundo título mundial. Ele sabe que um segundo título será mais difícil de vencer do que o primeiro, mas ele fez uma excelente final em 2016.

Guilherme terminou a final da Built Ford Touch Series em segundo lugar geral da etapa de Las Vegas, conseguindo montar seus últimos cinco touros em 2016.

Marchi só não parou em um de seus touros nos últimos três eventos da temporada (12 para 13), e seu desempenho de 5 para 6 nas finais mundiais o levou a um sexto lugar na final da classificação mundial de 2016 .

“Você nunca sabe o que pode acontecer hoje e você nunca sabe o que pode acontecer amanhã, mas você tem que acreditar em si mesmo e tentar o seu melhor”, disse Marchi.

De fato, o Top 10 de Marchi foi o 11º em 13 temporadas. Ele também colocou cinco prêmios consecutivos do Top-10 até o final de 2016, e terminou com as montarias mais qualificadas (22) nos últimos três meses de competição da PBR.

“Foi muito”, disse Marchi. “Eu estava quase na 30ª posição (da classificação mundial) depois do intervalo. Foi um grande salto. Um grande passo. No próximo ano, eu preciso me manter focado como eu fiz após o break. Continuar trabalhando duro e me preparar para voltar no próximo ano e terminar forte. ”

O aproveitamento de 62,85 por cento de Marchi naqueles últimos três meses o coloca em posição privilegiada para se tornar o primeiro competidor na história da PBR a registrar 600 montarias no BFTS.

Ele chega ao início da temporada em 6 de janeiro com 581 passeios de carreira.

“Estou me aproximando”, disse Marchi. “Eu vou montar 20 touros antes do intervalo no próximo ano. Seiscentas saídas não são fáceis de fazer esse recorde, mas no próximo ano que será fácil para mim se eu continuar como eu tenho sido. Esse não é o meu objetivo. Meu objetivo é terminar no Top 5 no próximo ano ou ganhar o título.”

Marchi concordou com a crença de que a temporada de 2016 foi sua melhor desde 2014. Naquele ano, Marchi parecia estar pronto para ganhar seu segundo título mundial antes de uma lesão em seu joelho direito, que lhe custou o ranking número 1 do mundo durante os últimos três meses da temporada.

Em 2015, sofreu lesões em Calgary, Oklahoma e nas Finais Mundiais.

Marchi se recusou a se submeter à cirurgia para reparar qualquer de seus ferimentos e voltou em 2016 após um rigoroso programa de exercícios e reabilitação.

Ainda assim, ele não estava perto de 100 por cento saudáveis quando a temporada começou.

“É verdade”, disse Marchi sobre sentir-se saudável desde 2014. “Porque quando você anda com dor, você não está 100 por cento. Você luta com ela. Você luta mentalmente. Quando você começa a se preparar para montar touros, você pensa: ‘O que vai acontecer? Isso vai doer? Vou ficar chateado?”.

Sua história de lesão, especialmente em Thackerville, é o que fez a sua vitória lá em agosto passado ser tão especial. Era também um lembrete que tinha retornado finalmente à sua forma um ano mais tarde.

“Depois de Thackerville, eu sabia que estava quase 100%”, acrescentou Marchi. “Tenho andado muito bem. Eu estava focado. Eu tenho sido forte mentalmente. Fui mais leve.”

Em vez disso, 2016 foi um ano em que o coração e determinação de Marchi provaram que todos os seus incrédulos estavam errados.

Marchi deixou Ty Murray rindo de espanto com seu desempenho nas finais do mundo.

“Eu vou te dizer que esse cara aqui é uma inspiração”, disse Murray na CBS Sports Network. “Nunca houve um competidor de touro mais duro com uma carreira mais longa e melhor do que Guilherme. … Justin McBride, este velho ainda tem. ”

Sim, Marchi vai completar 35 anos de idade até a metade da temporada de 2017, mas este ano terá muito menos dúvidas e uma quantidade ainda maior de fãs que torcem por seguir uma inspiradora corrida de 2016.

Ele também começa o ano um helluva muito mais saudável do que ele fez em 2016.

Portanto, Marchi ainda acredita que pode se juntar a Adriano Moraes, que tinha 36 anos quando venceu seu último título mundial, como o segundo mais velho Campeão Mundial da história da PBR.

“Adriano venceu seu terceiro título quando tinha 36 anos. Ele bateu todos, e ele fez isso muito bem”, disse Marchi. “Eu tenho um amigo que tem 42 anos e ainda monta bem no Brasil. Se você está em grande forma, se você cuidar de seu corpo, se você fizer o que você precisa fazer para ficar mentalmente e fisicamente forte, nada vai parar.”

Fonte: Justin Felisko / PBR USA

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar